Notícias

A importância da gestão do escritório de advocacia

31/01/2017

A administração dos escritórios de advocacia sofreu grandes mudanças nos últimos anos, não podendo mais ser deixada em segundo plano.

Improvisar na gestão não funcionará mais. Ações administrativas não planejadas poderão comprometer as atividades da banca, o risco é muito alto diante da concorrência desenfreada, das oscilações do mercado financeiro e da alteração do perfil dos clientes.

Os serviços jurídicos precisam ser prestados com comprometimento, informações técnicas atualizadas, segurança e eficiência, buscando não somente os resultados nas causas em que o escritório atua, mas a efetiva satisfação de seus clientes. E isso só é possível com uma administração de excelência.

É indispensável reinventar-se, planejar o futuro, definir metas, ser empreendedor. É nesse cenário que se tornou necessária a existência da figura do gestor jurídico, dedicado exclusivamente para cuidar dos aspectos corporativos da banca.

Entre as principais competências destinadas ao gestor, destacam-se as seguintes:

• Traçar a situação atual do escritório e definir o escopo de atuação;

• Analisar a situação jurídica do pretenso cliente e da pertinência temática com o escopo do escritório;

• Definir plano estratégico e orçamentário do escritório;

• Motivar a equipe por conta da instituição de plano de carreira, da educação continuada, da avaliação funcional e do feedback, do trabalho em equipe, entre outros;

• Indicar e contratar parceiros na área jurídica;

• Implementar Política de Qualidade e de resultados;

• Atualizar de forma dinâmica a área tecnológica;

• Cuidar do Marketing.

Todas essas competências estão ligadas intimamente ao planejamento estratégico do escritório e não com a execução do serviço. Isso não significa que o gestor não possa auxiliar na execução, mas não é sua função principal.

O gestor jurídico vai organizar e estruturar da melhor forma o escritório, tornando-o mais competitivo e atraente na escolha da contratação pelo cliente.

Independentemente do tamanho da banca jurídica, é possível e necessário desenvolver a administração com excelência por intermédio do gestor jurídico, obtendo como reflexo deste investimento a motivação da equipe, a redução de custos com a manutenção da qualidade dos serviços e profissionais especializados para atender e superar as expectativas dos clientes, além de consolidar no mercado a identidade do escritório.

Fonte: Migalhas

Ver todas as notícias