Notícias

A importância do ambiente digital no marketing jurídico

20/07/2015

Com a inclusão da advocacia no Supersimples em 2014 a expectativa é que o número de escritórios que atuam na área do direito se multiplique, indo dos atuais 20 mil para 126 mil. Um crescimento de mais de 600%.

Além de estimular a criação e formalização de novas sociedades é possível que essa medida também aqueça a disputa entre as bancas de advogados por novas oportunidades no mercado.

Para os escritórios que pretendem manter relevância e crescimento na área, a adoção de políticas voltadas para a atração e manutenção de clientes será essencial para a sobrevivência em um mercado extremamente competitivo como esse. Isso significa atenção redobrada nas estratégias de Marketing Jurídico, visando um bom posicionamento diante da concorrência e a geração de novos negócios.

Nesse cenário, qualquer plano de marketing precisa considerar a internet como parte indispensável da equação, já que a plataforma vem ampliando progressivamente o seu alcance e uso no Brasil chegando, em 2013, a conectar mais de 50% da população nacional com mais de 10 anos de idade[1]. Menosprezar o meio digital em um plano de marketing significa desperdiçar um enorme potencial de tração para o escritório. Uma bobeada nesse sentido pode ser o fator decisivo entre o sucesso ou o fracasso de uma empresa.

O papel da internet no marketing jurídico

O espectro de atuação do marketing jurídico em mercados de outros países possui algumas diferenças importantes em relação ao cenário brasileiro. No Estados Unidos, por exemplo, é permitido a veiculação de peças publicitárias em TV’s, revistas e outdoors vendendo serviços legais, o que atualmente não é autorizado pelo código de ética da OAB. Isso faz com que as estratégias e o aporte financeiro em ações de marketing sejam muito mais agressivos por lá.

No entanto, apesar deste contraste com o nosso contexto nacional, uma análise dos investimentos em ações de marketing online feitos pelos escritórios nesses países, onde o mercado é bastante competitivo, pode sinalizar algumas tendências interessantes para os profissionais brasileiros mais interessados na área.

Um relatório[2] divulgado em 2012 pelas empresas Avvo e LexBlog mostra a relevância dos investimentos voltados para ações online em empresas de advocacia espalhadas pelo mundo. Segundo o documento, quase um quarto dos profissionais e escritórios entrevistados pretendem gastar 75% da sua verba de marketing em ações focadas no meio digital.

A pesquisa também mostra que 72% dos entrevistados relataram monitorar constantemente a sua reputação online. Tais dados indicam a importância da internet para o aumento da carteira de clientes e também na construção de uma identidade positiva da empresa perante o público.

Além do comportamento dos escritórios, a atitude dos clientes também tem mudado bastante nos últimos anos. Em uma recente pesquisa[3] conduzida pela FindLaw, 1.000 norte-americanos foram perguntados sobre os seus métodos para encontrar e contratar um advogado. Os dados coletados foram comparados com os de outra pesquisa semelhante realizada em 2005:

Em 2005: Amigos e conhecidos – 65% / Outros – 28% / Internet – 7%

Em 2014: Internet – 38% / Amigos e conhecidos – 29% / Outros – 33%

Em um período inferior a dez anos, a internet se tornou a principal ferramenta para encontrar advogados nos Estados Unidos. A indicação de amigos e conhecidos perdeu espaço para a praticidade, velocidade e diversidade características do ambiente online.

Não foram encontradas informações semelhantes relacionadas ao mercado nacional mas, dado o crescimento significativo do uso da internet pela população brasileira, é possível que já estejamos caminhando para um cenário bem parecido.

A importância do site institucional

Uma estratégia de marketing digital assertiva e eficiente envolve uma série de habilidades e ferramentas que muitas vezes demandam a construção de uma equipe multidisciplinar. Nesse cenário é comum a divisão do planejamento em canais específicos, cada um sendo gerenciado por um ou mais profissionais especializados. No panorama atual a abordagem mais comum dos escritórios é focar os seus esforços em ações voltadas para alguns dos três canais apresentados abaixo:

1. Otimização em mecanismos de busca

Táticas de SEO são essenciais para posicionar o site de uma empresa nas primeiras posições do Google, aumentando as chances de cliques e visitação.

2. Blogs

Bom conteúdo sempre será uma das melhores ferramentes para atrair e reter clientes. Escritórios ou profissionais que produzem bons textos ou vídeos sobre temas específicos do direito costumam atingir mais prestígio no mercado, aumentando as chances de sucesso na geração de novos negócios. Em alguns casos a estratégia de conteúdo do blog também está diretamente ligada com a estratégia de SEO, através do uso de palavras-chaves.

3. Redes sociais

A presença nas redes sociais garante ao escritório a possibilidade de um feedback imediato de possíveis clientes, além de ser uma ótima ferramenta para divulgar seminários, artigos e outras novidades sobre a empresa.

Já existe uma boa variedade de conteúdo sobre o uso desses canais espalhada pela web. A leitura é recomendada já que estratégias que envolvem qualquer uma dessas três áreas podem oferecer bons resultados. No entanto, o foco desse texto é em outro canal, tão importante quanto todos os outros: o site.

Na maioria dos casos o site institucional é, no ambiente online, a linha de chegada para o cliente. Não importa se o caminho até ali foi feito através de um link na primeira página do Google, de um texto postado no blog do escritório ou de um comentário feito em alguma rede social. É no site que ele irá encontrar informações mais detalhadas sobre os serviços e diferenciais da empresa através de textos ou vídeos e poderá entrar em contato para um bate-papo ao vivo.

Um site que apresente uma organização confusa de conteúdo, páginas fora do ar ou um visual inadequado, pode aniquilar todas as estratégias realizadas nos outros canais digitais, gerando desperdício do investimento realizado. Nada adianta uma posição privilegiada na primeira página do Google se, ao entrar no site, o usuário não consegue encontrar as informações sobre os serviços que ele deseja utilizar.

Por isso, é importantíssimo que o escritório apresente um site bem estruturado, atraente e fácil de usar. Negligenciar o potencial desse canal como ferramenta competitiva pode diminuir as chances de sucesso de um escritório.

O crescimento do mercado mobile

Existe um aspecto importante relacionado ao site institucional que é muitas vezes esquecido pelos escritórios de advocacia: usuários de dispositivos móveis.

O celular é o principal meio de acesso à internet no Brasil[4]. Além de ser uma alternativa mais barata ao desktop, o que favorece o seu crescimento entre as classes menos abastadas do país, a facilidade de uso e a conveniência de poder acessar a internet em qualquer lugar fomentam o crescimento do mercado mobile em todos os segmentos da sociedade brasileira.

Isso significa que, se um determinado escritório de advocacia possui um site, são grandes as chances de que uma parcela considerável dos acessos venham de dispositivos móveis, o que levanta a seguinte questão:

Será que este site está preparado para receber esses visitantes da melhor maneira possível?

Desktops e dispositivos móveis—tablets e, principalmente, smartphones—possuem características bem distintas. Além da óbvia discrepância nas dimensões desses aparelhos é possível identificar outras diferenças:

1. Contexto de uso

Enquanto a utilização de computadores (desktops e notebooks) está geralmente associada a um usuário sentado à uma mesa, os contextos de uso de um smartphone são mais flexíveis e dinâmicos. Por exemplo, o usuário pode utilizar seu celular em pé no metrô enquanto volta do trabalho, deitado no sofá de casa ou sentado no banco de uma praça.

2. Padrões de interação

A dupla teclado e mouse ainda lidera com bastante folga o posto de padrão mais comum de interação entre os usuários de desktops. No entanto, no universo dos smartphones, essa posição é ocupada pelas telas sensíveis ao toque.

Projetar para dispositivos touchscreen requer uma abordagem diferente de desenvolvimento, principalmente em telas com dimensões pequenas, já que a maneira de interagir e navegar através do conteúdo é diferente nesses aparelhos. As áreas de clique, por exemplo, precisam conter um tamanho mais generoso devido ao fato de que os nossos dedos costumam ser menos certeiros no clique do que um ponteiro de mouse.

3. Performance

Apesar da disponibilidade cada vez maior de redes Wi-Fi em espaços públicos e privados, muitos usuários ainda dependem de seus pacotes de dados para acessar conteúdo na Web em algum momento do dia.

Além das redes disponíveis para esses tipos de plano (3G e 4G) geralmente apresentarem velocidade e estabilidade inferior as redes de banda larga cabeadas que chegam até as residências ou empresas, o valor cobrado por cada megabyte extra baixado pode gerar um custo a mais na conta final do usuário.

Por isso, é extramente importante que o processo de desenvolvimento de um site leve em conta questões de performance. Isso pode ser feito de várias maneiras, como por exemplo, reduzindo o tamanho dos arquivos disponibilizados no site para que os usuários de smartphones não sejam penalizados baixando documentos gigantescos que demoram para carregar e ainda consomem desnecessariamente o seu pacote de dados.

Um projeto de site otimizado para dispositivos móveis contempla todas essas nuances oferecendo a experiência ideal para o usuário/cliente conseguir acessar e interagir com o conteúdo online do escritório da melhor maneira possível, em qualquer lugar e contexto.

Ao resolver as questões de acessibilidade e experiência de uso, um site adaptado para diversos tamanhos de tela amplia o alcance do discurso—e consequentemente dos serviços—de um escritório, atingindo um público muito maior. Além disso, ao estabelecer um primeiro contato com um site bem desenhado e fácil de navegar em seu smartphone, o cliente assimila uma ótima impressão sobre a empresa.

Se posicionar bem é preciso

O marketing jurídico é uma especialidade que pode ser trabalhada por escritórios de todos os portes, incluindo profissionais que atuam de maneira autônoma. A aplicação de estratégias e ações na área já é uma realidade no mercado brasileiro há algum tempo. No entanto, com o avanço das tecnologias de informação em todas as camadas da sociedade, o público está cada vez mais bem informado e exigente sobre o posicionamento das marcas no ambiente digital.

Isso faz com que os escritórios de advocacia precisem investir mais tempo e dinheiro em suas estratégias na web. Nesse cenário um site institucional bem projetado e alinhado com uma estratégia de marketing mais ampla pode se tornar um importante canal de crescimento para qualquer escritório.

Por último, vale lembrar que com o poder de decisão nas mãos do cliente, em um cenário repleto de concorrentes disputando as mesmas oportunidades, vencerá aquele que, além de oferecer um excelente serviço, melhor se posicionar no mercado.

Fonte: Blog JurisCorrespondente - Autor: Iuri Brandão Moreira - Designer

Ver todas as notícias